Torrent Downlaods

Começou a negociação com o patronato!

Todo jornalista carioca sabe que, nesse momento, é preciso mais dinheiro no bolso e a manutenção do emprego com carteira assinada – diante da reforma trabalhista que representa um retrocesso nas relações entre patrões e empregados no país. É diante desse cenário que a Campanha Salarial 2018 inicia a fase de negociação com o patronato.

Aconteceu na quinta-feira, dia 18, a primeira rodada de negociação da Campanha Salarial 2018 para jornalistas do setor de Rádio e TV. Com a presença de representantes da TV Globo, SBT e Record TV, houve esclarecimentos de alguns pontos da Pauta de Reivindicações dos jornalistas do Rio para o setor de radiodifusão.

No documento apresentado em dezembro ao patronato de rádio e TV/jornais e revistas, e aprovado na assembleia do dia 30 de novembro, o reajuste dos salários dos empregados em empresas de rádio/TV e jornais/revistas deverá ser de 100% da inflação medida pelo INPC acumulada no período de fevereiro de 2017 a janeiro de 2018, que deve fechar em 2,05%, aproximadamente, como informado pelo DIEESE.

Ainda segundo a Pauta de Reivindicações, os salários deverão, também, ser reajustados em 6,5% a título de aumento real. Os trabalhadores reivindicam, ainda, que o valor mínimo para a jornada de 5 horas diárias seja estabelecido no valor de R$ 3.600,00, a partir de 1° de fevereiro, data-base dos jornalistas do município do Rio de Janeiro.

A negociação da quinta-feira (18) teve um reforço, com a presença da presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Maria José Braga, que alertou os patrões que sem jornalista não temos Jornalismo. E que um Jornalismo de qualidade deve ser produzido por um profissional bem remunerado.

Mais dinheiro no bolso e emprego na carteira

A Pauta que aprovou o pleito de aumento real dos salários foi construída a partir da Pesquisa sobre as Condições de Trabalho e Salário dos Jornalistas do Rio, realizada em dezembro do ano passado. A pesquisa revelou que o reajuste salarial é importante para 87,80% dos jornalistas; aumento real de salário para 82,90%; e o plano de saúde para 82,90%.

A próxima rodada de negociação com o patronato de rádio e TV está marcada para esta quinta-feira (25), quando os representantes das empresas de radiodifusão responderão as reivindicações dos jornalistas do Rio de Janeiro.

A direção do SJPMRJ aguarda o presidente do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Município do Rio de Janeiro, Fernando Gimenez, agendar as reuniões para que tenha início as negociações dos jornalistas de jornais e revistas.

Não se deixe intimidar pela ameaça de demissões. Mais do que nunca esta é a hora de o jornalista se unir aos seus colegas e apoiar as ações do nosso Sindicato em benefício da categoria. Participe com sugestões, pessoalmente, por e-mail ou por telefone.